img

As brincadeiras de Haddad


O prefeito Fernando Haddad tem passado dos limites do razoável, desprezando a inteligência dos paulistanos.

Haddad está implantando ações na cidade que só prejudicam a vida dos paulistanos. Por exemplo, fechar o Viaduto Plínio de Queiroz para os carros é acintoso. Ali não havia trânsito nenhum, ao contrário, quem seguia pelo túnel Nove de Julho até a Praça das Bandeiras levava 15 minutos no máximo. Agora, as ruas ao lado da Praça 14 Bis estão totalmente congestionadas, o viaduto vazio e leva-se 45 minutos no mesmo trajeto.
Isso sem contar que o congestionamento prejudica os moradores das ruas ao redor da Praça 14 Bis que agora precisam enfrentar o trânsito para sair e voltar pra casa e expõe os motoristas a assaltos. É só passar pela região para ver a quantidade de viciados que ficam por ali aproveitando o completo abandono da Praça 14 Bis para furtar motoristas e pedestres.
Outra declaração que salta aos olhos pelo absurdo é dizer que cada morador da Avenida Paulista, quando fechada, pode chamar um marronzinho para acompanhá-lo até sua casa ou na saída de casa. Parece piada e pode até ser, mas a afirmação foi feita pelo prefeito.
Haddad ainda criou mais uma fantasia esta semana. Segundo a Prefeitura, os ônibus passarão a ser resgatados por batedores da CET sempre que estiverem presos no trânsito em vias onde não há faixa exclusiva. Conseguem imaginar as motocicletas com sirene abrindo o caminho para os ônibus passarem?
E para completar, o “visionário” prefeito petista tem uma novidade para as empresas de ônibus. Segundo edital da nova licitação da Prefeitura, serão premiados com bônus os ônibus que estiverem mais lotados. Afinal, pra que facilitar quando se pode complicar ainda mais a vida dos paulistanos?
Os delírios de Fernando Haddad são um desrespeito com a cidade de São Paulo.