Aumento da tarifa de ônibus


O vereador fala sobre a posição do prefeito Haddad quanto ao aumento de tarifa de ônibus.

Sr. Presidente, Srs. Vereadores, público presente, quero falar sobre um assunto comentado, nesta semana, pela imprensa.

O Sr. Prefeito e o Sr. Secretário de Transportes merecem hoje um elogio pela atitude com relação às ciclovias. Vimos que, por solicitação dos comerciantes e da população, em dois ou três lugares, o Sr. Secretário modificou o traçado da ciclovia com o objetivo de não prejudicar o comércio local. No fundo, a Prefeitura fez agora o que deveria ter feito antes da implantação da ciclovia: ouvir a sociedade, discutir com as pessoas para depois executar a ciclovia de forma bem planejada. Mas antes tarde do que nunca. Por isso quero dizer que o Sr. Prefeito acertou nessa medida e espero que continue atuando dessa forma com relação às ciclovias.

Vi também que ontem o Sr. Prefeito se reuniu com diversos Prefeitos do entorno da cidade de São Paulo para discutir o aumento da tarifa de ônibus. Ao mesmo tempo, vimos que o Executivo mandou para a Câmara Municipal – se não me engano – o Orçamento considerando um aumento no subsídio; portanto, não prevendo nenhum aumento de tarifa de ônibus.

Por outro lado, meses atrás, quando houve aquelas manifestações em junho, vimos que o Sr. Prefeito havia determinado que a Secretaria de Transportes fizesse uma auditoria nas tarifas de ônibus, nos custos das empresas de transporte público, para que se pudesse saber se efetivamente estão corretos os níveis tarifários para poder calculá-los para o próximo ano.

Mas o Sr. Prefeito, às vezes, usa manobras diversionistas, porque, enquanto pede por um lado essa auditoria – de que até hoje ninguém tem notícia -, ao mesmo tempo manda a peça orçamentária sem considerar aumento de tarifa, e sim aumento do subsídio. E na terceira mão, S.Exa. se reúne com Prefeitos da Grande São Paulo para discutir aumento de tarifa e a tarifa única.

Hoje me perguntaram o que eu achava dessa reunião. Primeiro acho que foi precipitada, porque, enquanto não se tem o resultado da auditoria dos custos e das tarifas atuais, fica muito difícil discutir tarifas futuras. Ao mesmo tempo, chamar Prefeitos do entorno para discutir aumento de tarifa, fazer tarifa uniforme e procurar também o Governo do Estado para discutir outras tarifas parece-me uma terceirização de responsabilidade.

Quem quer ser Prefeito, e S.Exa. o é, deveria assumir a responsabilidade daquilo que precisa ser feito. Deveria analisar primeiro se efetivamente é preciso aumento de tarifa. Se for, que faça e assuma a responsabilidade, independentemente dos ônus e independentemente dos problemas. A sociedade é capaz de compreender, desde que as justificativas sejam feitas com coerência e com dados corretos. Não se resolve o problema diluindo a responsabilidade, transferindo isso a outros municípios e querendo envolver o Estado numa discussão de tarifa de ônibus. Esse assunto é absolutamente local.

Com relação aos outros transportes, o Estado fará sua discussão. Temos de lembrar que são fatos completamente diferentes. São tipos de transportes e de empresas diferentes. Falamos de empresas estatais por um lado, sobre trilhos, e empresas privadas do outro lado, sobre pneus. Então são temas diferentes, municípios diferentes também, quando se trata de ônibus.

Seria importante ficarmos atentos, porque, da mesma forma como foi feito aquele aumento de IPTU, de forma atabalhoada, o prenúncio com relação às tarifas parece-me que vem sendo feito de forma um pouco confusa.

Esse tipo de atitude é que acaba causando os transtornos, as manifestações, os protestos, porque isso mostra a falta de transparência na Prefeitura e a falta de coragem de assumir a responsabilidade do cargo.

Muito obrigado, Sr. Presidente. (Palmas)