Caminhar pela cidade e ouvir a população


Acredito que andar pela cidade de São Paulo conversando com os munícipes é a melhor maneira de entender as demandas da capital.

Quem acompanha meu trabalho sabe que gosto muito de caminhar por São Paulo. Tenho paixão pela cidade e adoro tirar fotos da paisagem paulistana. Tenho até um livro publicado com algumas destas fotos.

Nestas andanças pela cidade eu aproveito para conversar com os munícipes e entender o que cada região precisa. São Paulo é muito grande e as demandas são as mais diversas. Alguns problemas são comuns à toda a cidade, como falta de atendimento nos postos de saúde, escolas mal equipadas e com funcionários despreparados, inúmeros problemas com o transporte público e falta de segurança.

Mas muitos bairros, principalmente na periferia, têm problemas específicos. Por exemplo, a regularização fundiária ajudaria a cidade toda, mas teria um papel fundamental nas regiões norte e leste. A construção de equipamentos de cultura e esporte é primordial no extremo sul, onde os jovens não têm opções para se divertirem. O centro, como outros bairros, precisa da volta da Operação Delegada. Na zona oeste é preciso olhar com muito mais cuidados para a zeladoria.

Eu sei tudo isso porque ando pela cidade. Conheço pessoas que moram em lugares onde não há saneamento básico. Converso com mães que estão desesperadas porque não encontram vagas em creches para deixarem seus filhos e precisam trabalhar. Escuto reclamações de trabalhadores que passam quatro horas do seu dia dentro de ônibus para se locomover entre sua casa e o trabalho.

Para governar São Paulo é preciso sair do gabinete e andar pelas ruas. Os políticos precisam lembrar que foram eleitos para trabalhar pela população. E pra fazer isso direito, é preciso gastar muita sola de sapato.