Guilherme Boulos e a invasão de terrenos na cidade


Como presidente da Comissão de Política Urbana, Andrea Matarazzo comentou a invasão de terrenos na cidade.

Sr. Presidente, Srs. Vereadores, este é um comunicado da Comissão de Política Urbana. Queria comentar que fiquei satisfeito em ouvir o Líder do Governo, o nobre Vereador Arselino Tatto, quando falou a respeito dessa barbaridade que lemos hoje nos jornais pela manhã.

Hoje vimos – repetindo um pouco o que o nobre Vereador José Police Neto falou sobre um terreno que foi invadido meses atrás – a construtora proprietária do terreno ser coroada e presenteada pela Prefeitura.

Acredito que o dono da empresa deve, todos os dias, ajoelhar e agradecer ao Sr. Fernando Haddad e ao Sr. Guilherme Boulos, por terem resolvido um mico que ele tinha nas mãos. Num período de mercado em baixa, uma área industrial em Itaquera que teria dificuldade em viabilizar o empreendimento, com o Sr. Guilherme Boulos ele conseguiu multiplicar o coeficiente por quatro, ou seja, virou coeficiente quatro, podendo construir quatro vezes o que poderia ser construído lá. Arrumou clientes cativos, fora da fila, e financiamento subsidiado pelo Governo Federal.

Como empreendimento, hoje o Dr. Guilherme Boulos passa a ser o grande empreendedor imobiliário da Cidade. Se tiver um terreno que é um mico, nobre Vereador Natalini, convide Guilherme Boulos, que entra com mudança no zoneamento, com os clientes, com o financiamento e o Sr. Prefeito sanciona a lei.

O que o Sr. Prefeito mostrou com o que fez é que o Guilherme Boulos sozinho tem mais prestígio com S.Exa. do que 55 Vereadores. Mostrou que Guilherme Boulos sozinho manda muito mais do que a Secretaria da Habitação, manda mais do que o Programa Minha Casa, Minha Vida, que tem um mínimo de fila.

Aqui não tem fila, aqui é como se diz: para os amigos casa própria, para os outros a fila da lei. É essa a demonstração do Prefeito Fernando Haddad, infelizmente – uma pessoa de quem gosto, sei que é uma pessoa de bem, mas muito mal assessorado – basta vermos o rosto do nobre Vereador Nabil Bonduki – tão vermelho quanto a armação dos seus óculos – quando viu o que viu.

Certamente, nobre Vereador Arselino Tatto, imaginamos de onde vieram as sugestões: da Secretaria do Planejamento, da protossocialista Leda Paulani; provavelmente da Secretaria de Comunicação, por sugestão do Sr. “Bragulho”. Como ele se chama? “Bregulho”, desculpe. Aliás, cujo Adjunto ofendeu alguns nobres Vereadores da Casa. Mas, conhecendo o nobre Vereador Arselino Tatto, confio que conseguirá levar as sugestões e corrigirá esse erro ao qual o Sr. Prefeito foi induzido, pois tenho certeza de que S.Exa. é uma pessoa de boa-fé, afirmo isso, e corrigirá esse erro ao qual foi induzido.