Haddad sempre superestimou os investimentos federais


Não é novidade pra ninguém que o prefeito Haddad vive terceirizando suas responsabilidades.

Frequentemente ele diz que determinadas obras e serviços não poderão ser executados porque São Paulo não recebeu a verba do governo federal que esperava. A verdade é que a atual administração sempre superestimou os investimentos federais e quem sofre com este planejamento mal feito é o cidadão paulistano.

A verba do governo federal prevista para 2016 não vai chegar, assim como a dos anos anteriores também não chegou.  As estimativas no orçamento de 2014 foram de R$10,7 bilhões, mas só R$4,2 bilhões foram executados. Em 2015, dos R$8,9 bilhões previstos só R$4,4 bilhões foram investidos. Agora em 2016 os investimentos já caíram 36%. Entre janeiro e abril foram investidos R$355 milhões, mas R$534 milhões tinham sido previstos.

A diferença entre o que Fernando Haddad pretendia receber do governo federal e os valores de fato investidos em São Paulo colaboram para que o prefeito não consiga entrega boa parte do que previu em seu plano de metas. Por exemplo, ele prometeu entregar 150 quilômetros de corredores de ônibus e faltando pouco mais de um semestre para acabar seu mandato só entregou 66 quilômetros. Quem contava com as 55.000 habitações que o prefeito pretendia entregar também ficou na mão. Até agora, apenas 8.500 foram entregues.

Isso tudo sem falar dos serviços básicos que não são realizados. Basta ler os jornais para ver que a limpeza da cidade foi abandonada, bem como o tratamento de esgotos e limpezas de córregos, o que tem contribuído para os alagamentos que estamos vendo na cidade.

São Paulo merece um prefeito que queira apenas ser prefeito e não usar a prefeitura como sala de aulas ou como início de carreira. A Prefeitura precisa saber estimar e planejar seus recursos, prometer o que consegue fazer com suas próprias pernas e ter uma equipe competente para administrar uma cidade do tamanho de São Paulo.