As artes da USP

A Secretaria de Estado da Cultura investiu cerca de R$ 80 milhões na reforma do antigo prédio do Detran, no Ibirapuera, a fim de transformá-lo na nova sede do MAC-USP, o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Faz todo o sentido.
Seu acervo é, de longe, o mais importante de arte moderna na América Latina. Reúne em torno de 8.000 obras, do último autorretrato de Modigliani a quadros de Picasso, Matisse, Miró, Max Ernst, De Chirico, Umberto Boccioni, Tarsila, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Volpi, entre centenas de artistas.

Entrevista concedida ao Diário do Grande ABC

Está cada vez mais próxima a possibilidade de o Grande ABC ser contemplado por projetos que integrem os municípios e os artistas em um calendário fixo, elaborado exclusivamente para a região. A informação foi dada com exclusividade ao Diário pelo secretário de Estado da Cultura, Andrea Matarazzo, que revelou que as ações estão em fase de conversas preliminares com o Consórcio Intermunicipal.

Guardiões das calçadas

Muito bom o artigo que a deputada federal Mara Gabrilli publicou hoje, no Diário de São Paulo, sobre a qualidade das calçadas da cidade. Como ela diz, o passeio público bem construído, conservado e limpo influi diretamente sobre um dos direitos mais básicos de todos os cidadãos: o de ir e vir.

Bem-vindos

Desde que eu estava na secretaria das subprefeituras, o Twitter passou a ser uma ferramenta de trabalho diário. Recebia centenas de sugestões e críticas diretamente, encaminhava as ações e os cidadãos me davam retorno imediato. Essa dinâmica me possibilitou maior agilidade para resolver os problemas da cidade. Naquele tempo, as redes sociais serviram para mim como instrumento fundamental de conhecimento da Capital e implantação de soluções. Ao mesmo tempo, os participantes dessas redes transformaram-se em um imenso batalhão de fiscais com um único interesse: melhorar o dia a dia de São Paulo.

Creio que não há nada mais valioso do que a interação direta com as pessoas. Mas o Twitter, claro, tem a limitação dos 140 caracteres. Por isso, há alguns meses venho construindo este blog. Aqui, com mais espaço, vou arquivar meus artigos, textos, entrevistas e as fotos que faço em minhas andanças por São Paulo. Pretendo, também, dividir e debater ideias sobre os temas mais variados.

Espero que apreciem, que opinem e mandem sugestões. São todos bem-vindos!

Leitura, lazer e prazer

Talvez as gerações mais antigas lembrem das bibliotecas como espaços meio opressores, pouco atraentes na obrigação do silêncio absoluto. Por isso, quando vejo a Biblioteca de São Paulo lotada de crianças, jovens e adultos, todos envolvidos nos mais diversos tipos de atividades, penso que a coisa mais gratificante em estar à frente da Secretaria de Estado da Cultura é buscar maneiras de tornar a literatura e outras formas de expressão artística mais acessíveis e mais atraentes para a população.

Amy Winehouse e as drogas

A morte da cantora Amy Winehouse é uma pena, um desastre que nos faz pensar nesse nó que é o problema das drogas. Eu diria que a droga é um verdadeiro flagelo na sociedade moderna, um drama familiar. Para uma mãe chegar ao ponto de dizer “a morte da minha filha era uma questão de tempo”… Quantas mães aqui em São Paulo – e no mundo – não passam por isso?

A meu ver, para enfrentar esse problema, é preciso olhar para frente, sem preconceitos. Uma questão central é: como melhorar a vida das famílias que encaram dramas como esses? O poder público tem a obrigação de prover o serviço, tem de assumir o papel, na ausência da família, do apoio e tratamento dos dependentes.