Matarazzo cobra atitude da Prefeitura


O vereador Andrea Matarazzo discursou no Plenário da Câmara e cobrou do prefeito Fernando Haddad uma solução para o problema das merendas.

O SR. ANDREA MATARAZZO (PSD) –Sra. Presidente, Srs. Vereadores, público que nos acompanha pela TV Câmara São Paulo, fiquei impressionado em ver o nosso Colega, o nobre Vereador Alfredinho. S.Exa. está bravo.

Feliz ou infelizmente, é uma semana decisiva para o nosso País. Com tudo o que nós ouvimos, principalmente do nosso amigo, o nobre Vereador Reis, parece a Ilha da Fantasia. A capacidade do nobre Vereador Reis de mudar e distorcer os fatos, mas, por outro lado, obviamente não muda a história. É um ciclo que chega ao final. É o ciclo da Presidente Dilma que não soube administrar o País, não soube dialogar com as forças democráticas, com o Congresso Nacional e caminha, até o fim de semana, para o fim do seu mandato, de forma democrática, através de um processo de impeachment que está previsto na nossa Constituição. É o fim de um ciclo devastador para o nosso País.

Por outro lado, vamos falar da nossa Cidade, que não fica longe. Infelizmente ontem, quando estive no Fórum da Educação Infantil, o FEI, fiquei muito impressionado em ouvir os relatos do que está acontecendo na educação infantil desta Cidade.

Na questão das creches, o problema não está só na falta de vagas. Há por exemplo, crianças que moram na zona Leste matriculadas na zona Sul, crianças que moram na zona Oeste matriculadas na zona Leste. Também aquelas crianças que são transferidas de uma creche para outra, é dada como liberada a vaga de onde ela saiu, e continua liberada a vaga de onde ela tem de entrar. Aumentando e distorcendo o número da fila de vagas. Isso é uma vergonha.

Além disso, vimos também que as mães reclamam dessa situação, e com toda razão, porque isso as impede de levar suas crianças para a escola. Imagina a mãe que está nos assistindo, mora na zona Leste, sua filha matriculada na escola na zona Sul, se tiver carro e tempo, mesmo assim, são pelo menos uma hora e meia de tempo perdido. Agora imagine a pessoa que trabalha e depende do transporte público para isso.

Tem também a questão da merenda das escolas e das creches aqui de São Paulo. Vi fotografias de frutas estragadas, podres, o feijão com larvas. E qual foi à recomendação das diretorias regionais da Secretaria de Educação? Troque o feijão por fubá. Maria Antonieta já dizia: “Não tem pão, que comam brioches”. Não há feijão, comam fubá! Ou então feijão com soja. Pensei que essas coisas não existissem mais em São Paulo, mas a Prefeitura do Município de São Paulo conseguiu essa proeza.

Aliás, hoje há uma matéria grande no jornal nesse sentido. O Fórum das Escolas Infantis já solicitou que essa merenda fosse comprada pelas unidades conveniadas. Faz sentido, porque elas conseguem movimentar o comércio local. Comprar frutas e verduras frescas, comprar os produtos que existem no mercado, permitindo que as crianças tenham uma alimentação saudável.

Outra questão é sobre as contas para o repasse do Governo Federal, do Programa Nacional de Alimentação Escolar, que obriga que essas entidades abram suas contas no Banco do Brasil e elas têm grande dificuldade. As que conseguem, o Governo Federal não consegue entregar o dinheiro. É um misto da inoperância da Prefeitura do Município de São Paulo com a inoperância do Governo Federal.

Peço ao Sr. Prefeito Haddad que tome providências e conhecimento do que está acontecendo, porque o que vimos no Fórum das Escolas Infantis, tenho certeza, o Sr. Prefeito Haddad não tem conhecimento. É preciso que S.Exa, tenha conhecimento.

Muito obrigado.