Matarazzo comenta falta de médicos em São Paulo


Faltam médicos em diversas regiões de São Paulo e o vereador Andrea Matarazzo cobrou uma atitude da Prefeitura.

O SR. ANDREA MATARAZZO (PSD – Sr. Presidente, Sras. e Srs. Vereadores, boa tarde. Ocupo a tribuna hoje para comentar algo que, a meu ver, é um dos fatos mais graves que afeta a cidade de São Paulo: a falta de médicos. O telespectador que assiste a esta sessão sabe o quanto tem sido difícil hoje ser atendido em qualquer especialidade. Ouvi o Vereador Alfredinho falando da questão dos pediatras, mas, efetivamente, hoje você não encontra médico em quase nenhuma das unidades básicas de saúde. Não dá para entender o que está acontecendo na Cidade. Além do quê, o sistema hoje é lento. Você tem que sair de casa um dia para marcar consulta, para depois voltar para ser atendido, sabe lá quando. Mas, efetivamente, a questão da saúde de São Paulo vem se agravando a cada dia que passa.

Onde está o Secretário da Saúde Alexandre Padilha? Nós não o vimos mais. Desde que assumiu, ninguém mais ouviu falar do que vem acontecendo, do que está ocorrendo com a Saúde, onde estão os médicos de São Paulo, que efetivamente desapareceram.

Esse é um ponto a ser explicado e a ser apresentado para a população. Falta transparência aí. O que aconteceu na zona Norte, com a substituição da Santa Casa em um dos hospitais por uma outra OS, que levou a metade dos profissionais que existiam lá para atender a população?

Srs. Vereadores, o que vem acontecendo com a gestão da Cidade? Porque nós estamos vendo que ela está abandonada. A Cidade está largada à sua própria sorte. Quando andamos pelo Centro, podemos observar, nobre Vereador Senival Moura, a população de rua completamente desassistida, completamente abandonada, também à mercê da sua própria sorte. Quer dizer, não há mais o desenvolvimento social. Qual é a política de albergues? Qual é a porta de saída para a população de rua? Qual é o tratamento que vem sendo dado a essas pessoas, que são aquelas que mais precisam?

O nobre Vereador Alfredinho fez indicações de algumas grandes obras na zona Sul, fundamentais e necessárias, mas é preciso também olharmos e prestarmos atenção às pequenas obras de interesse local, aquelas que fazem toda a diferença na vida das pessoas, a questão dos serviços da Cidade, que hoje são cada vez menos prestados. Enfim, nós temos que ter gestão. O que falta à cidade de São Paulo hoje é uma Prefeitura atuante, que seja um facilitador da vida do cidadão e não uma Prefeitura que seja um ônus em cima do nosso paulistano.

Na área do comércio, na área dos serviços, cada dia mais as dificuldades são visíveis, ou seja, tirar hoje uma licença de funcionamento, tirar hoje um alvará de funcionamento é alguma coisa que, se tudo correr bem, leva de dois a três anos. Onde está o licenciamento eletrônico que havia sido implantado na Prefeitura nas gestões anteriores? Foi interrompido. Onde está a aprovação de projetos, por exemplo, os projetos imobiliários, que estavam sendo feitos pelo Plantas On-line, que era um sistema também informatizado da Prefeitura? Tudo isso parou, tudo isso acabou. Mas na hora que nós cidadãos precisamos pagar um imposto, entregar um documento, temos data, temos prazo para pagar ou entregar, caso contrário somos multados. Por que quando a Prefeitura se atrasa nos documentos não tem nenhuma sanção? Por que uma licença de funcionamento leva três anos para sair?  A quem interessa os estabelecimentos funcionando sem a sua licença formal? Essas são as perguntas que a Prefeitura tem que responder.

Há solução para isso. A gente sabe que dá para resolver, já estivemos lá, dá para fazer, mas queremos saber por que ninguém avança e ninguém facilita a vida do cidadão.

Muito obrigado, Srs. Vereadores.