Matarazzo fala sobre falta de material nas escolas municipais


Veja o que disse o líder do PSDB na Câmara, Andrea Matarazzo, sobre a falta de material escolar para alunos da rede municipal de ensino de São Paulo.

O SR. ANDREA MATARAZZO (PSDB) – (Sem revisão do orador) – Sra. Presidente, muito obrigado. Quero falar um pouco sobre a Prefeitura de São Paulo, mais uma vez sobre a gestão da nossa cidade, sobre a gestão do PT na Cidade.

Esta semana nos deparamos com mais um problema para os nossos alunos da rede pública municipal. Falta material escolar. Já na terceira semana de aula, após cerca de quinze dias, um mês, é que as crianças receberão os cadernos e as canetas.

Ora, meu Deus, todo mundo sabe, até porque é o próprio Poder Público que define, quando é o início das aulas do ano letivo. Qual é a dificuldade em se planejar a entrega desse material no período certo? Nenhuma. Basta haver planejamento, que não é o forte dessa gestão, infelizmente.

Não entendo o Prefeito Fernando Haddad ainda não ter estruturado essa área na Prefeitura. O ônus aos nossos habitantes, o ônus às crianças que estudam é enorme, porque as aulas começaram e elas escreverão onde? Na palma da mão? Claro que não, porque também faltam canetas. Elas têm de comprar.

Ora, existe o kit de material escolar da Secretaria de Educação, também previamente definido pelo próprio Poder Público. Basta apenas planejar e compatibilizar número de alunos, número de kits, data de início das aulas e prazo para produção desses itens. Não é um negócio tão complexo e tão difícil.

Agora, nobre Vereador Reis, se isso não funciona, imagine o resto. É o que estamos vendo. Essa é a razão pela qual faltam remédios nas UBSs. Aliás, basta ir a uma delas para não encontrar remédios; dificilmente encontrará o médico e dificilmente será atendido. Então, o que está acontecendo é que as pessoas correm às AMAs e, não tendo médico, vão aos hospitais, enfrentando filas e prejudicando aqueles que precisam do atendimento mais complexo que deve ser realizado pelos hospitais. Esses são os prejuízos que a falta de planejamento dessa gestão vem causando à sociedade.

Na semana passada nos deparamos com mais um ponto dessa gestão desastrosa do PT: o transporte escolar gratuito, que agora não tem espaço para pessoas com deficiência. Elas não cabem nos ônibus, porque não houve contrato para isso. Antes faltavam ônibus para todos. Foi restabelecido, fora do tempo também. Duas semanas se passaram até que as crianças tivessem os ônibus. Depois, quando voltou o transporte escolar, veio manco, faltando uma parte, justamente o atendimento para aqueles que mais precisam: as crianças com deficiência. No depoimento de uma delas, os ônibus que levavam até cinco pessoas com deficiência, em média, por dia, hoje conseguem carregar no máximo duas, portanto as outras três estão ficando em casa.

Isso é o resultado da gestão Fernando Haddad na Prefeitura. É resultado de uma gestão com alguém que decidiu ser Prefeito de uma hora para a outra. Aliás, decidiram e o indicaram para Prefeito, alguém que não tinha experiência, que nunca havia trabalhado na Prefeitura, que não conhecia a Cidade. Infelizmente, uma experiência que não deu certo, assim como várias outras que já vimos na nossa Cidade: daqueles que se aventuram a ser Prefeito sem nunca ter atravessado a Avenida Paulista.

Outro ponto que quero comentar é sobre a Lei de Uso e Ocupação do Solo aprovada nesta semana, nesta Casa. Esse foi um processo bonito entre o Executivo e o Legislativo. O Executivo, por ter apresentado um projeto, que tinha problemas à beça, mas teve a sensibilidade de, depois de 60 audiências públicas realizadas pela Câmara, depois de muitos debates com os Vereadores da base do Governo e da Oposição, ter feito um ajuste a esse projeto que, pelo que vi, atendeu perfeitamente a diversas regiões da Cidade. Embora aquilo que entendo ser importante, no caso das Zonas Estritamente Residenciais, não tenha sido atendido na totalidade, mesmo assim, contemplou bastante. Quem sabe quase o suficiente para não deteriorar esses bairros.

Foi um trabalho bonito, bem sintonizado, entre o Legislativo, o Executivo, os técnicos e os parlamentares. Penso que por isso nós temos de parabenizar o nobre Vereador Paulo Frange, que foi o relator desse processo, e o nobre Vereador Gilson Barreto, do PSDB, que presidiu a Comissão de Política Urbana, aqui da Cidade.

Estive andando, nesta semana, pela zona Sul, especificamente no Jardim São Luís e no Capão Redondo, e pude ver o grande trabalho que o nobre Vereador Reis tem feito na região, como o asfaltamento de ruas, a melhoria de calçadas, a limpeza de bairros. Pena que isso não aconteça em áreas que são defendidas por outros Vereadores. Pena que a Prefeitura não atenda com a mesma celeridade ou com a mesma atenção os Vereadores do PSDB – atender os Vereadores é o de menos, mas as comunidades que fazem suas solicitações através dos Vereadores do PSDB.

Disputas políticas à parte, temos que parabenizar efetivamente o nobre Vereador Reis pelo trabalho que tem feito na sua região de atuação, que é visível, e S.Exa. é permanentemente presente na sua base.

Enfim, esses são os pontos a que nós temos de ficar atentos.

A Prefeitura continua patinando, estamos indo para o final do quarto ano de governo, as metas não estão cumpridas, as unidades de saúde não foram construídas, nas escolas as crianças estão sem o material escolar, as pessoas com deficiência estão sem transporte público, a Cidade, a cada 20 minutos de chuva, como hoje, agora mesmo, está inteirinha embaixo d’água, por não existir limpeza na rede de drenagem. As unidades de saúde sem remédios, sem médicos, o atendimento nas subprefeituras está abaixo da crítica.

A região central da Cidade, infelizmente, está absolutamente abandonada, porque temos um subprefeito cuja única preocupação é a eleição. Ele não se preocupa em administrar a Cidade, a Subprefeitura da Sé, ele se preocupa apenas com a eleição que só acontecerá no final do ano. Isso é uma pena, é um desperdício.

Sra. Presidente, era o que eu tinha a dizer. Quero alertar as pessoas para que pensem, reflitam, porque São Paulo precisa de alguém com experiência, a Cidade precisa ser colocada no rumo, nos trilhos, porque essa gestão que está aí tem feito um verdadeiro desastre com a nossa Cidade.

Muito obrigado, Sra. Presidente.