O abandono das subprefeituras


São Paulo está abandonada! É só andarmos pelas ruas da capital que percebemos o quão suja, mal sinalizada e esburacada ela está.

Vemos lixos amontoados, placas de rua desgastadas e buracos que existem há meses e nunca foram consertados pela Prefeitura. Isso tudo é culpa direta do prefeito que troca a cada 20 dias um subprefeito tornando impossível o trabalho de cuidar das ruas, das praças, etc.
Eu fui Secretário das Subprefeituras e sei que este é um trabalho contínuo e o resultado não é imediato. Portanto, ficar trocando os subprefeitos só atrapalha o andamento do trabalho. Além do mais, não se pode privilegiar costuras políticas em detrimento do bem-estar da população. E é isso que Haddad faz. Privilegia o compadrio e não o povo.
Vejam que absurdo. Desde que Fernando Haddad assumiu a Prefeitura de São Paulo, em 2013, 79 nomes já passaram pelas 32 subprefeituras. É lógico que estas trocas constantes interrompem projetos em andamento e dificultam o diálogo com moradores, resultando no abandono da cidade.
Por fim, o prefeito demonstrou a pouca importância que dá às subprefeituras tirando delas cerca de R$730 milhões em recursos nos dois primeiros anos da gestão. Neste ano, as administrações regionais continuam com desempenho aquém do observado nos mandatos anteriores.
As subprefeituras são a forma mais eficaz de aproximar o prefeito da população. Os subprefeitos conhecem bem as necessidades de suas regiões e quando tem recursos e autonomia podem fazer um bom trabalho para os munícipes. Mas da forma como são tratados pela atual gestão, fica difícil obter bons resultados.