O ano se encerra com uma vitória


A cidade de São Paulo fecha o ano com uma vitória importante. Graças à pressão da sociedade e dos partidos de oposição, conseguimos, após mais de três meses de debate, convencer o prefeito Fernando Haddad da importância da Lei de Zoneamento.

Evitou-se assim, que uma lei tão importante não tivesse uma discussão mais aprofundada e detalhada como se fazia necessário. Prevaleceu o bom senso de todos. O detalhamento do Plano Diretor é, sem dúvida, a lei mais importante da nossa cidade por afetar diretamente como será a São Paulo que vamos viver no futuro. Mais do que isso, tem capacidade de colocar de pernas para o alto a vida dos paulistanos, porque pode alterar totalmente o funcionamento de um bairro. Pode permitir prédios em locais nos quais hoje só existem casas. Pode liberar implementação de bares e restaurantes em zonas residenciais. É uma confusão muito grande para sair do papel em uma só canetada.

O adiamento é a comprovação de que o projeto estava muito verde, com muitas arestas, muitos problemas e muitas incongruências. Precisamos debater com mais profundidade as zonas de corredores, a preservação das zonas residências, para ficar em apenas dois exemplos. Fato é que não podemos alterar o padrão de São Paulo, impondo uma solução única. A cidade é muito ampla, com regiões orgânicas e bairros singulares. Precisamos de uma lei que consiga refletir essa diversidade. Por isso, mais discussão se faz necessária.

Com o adiamento do Plano Diretor, o ano se encerra para São Paulo melhor do que começou, apesar de nós brasileiros não termos muito o que comemorar diante do tamanho das crises econômica, social e política, enlameadas pela corrupção. Por isso, espero que em 2016 a sociedade participe mais dos debates públicos, envolva-se mais com seus representantes no legislativo federal, estadual e municipal. Torço para que cada vez mais as famílias e os trabalhadores cobrem seus governantes por resultados. Temos muito trabalho a fazer para evitar a repetição de um ano tão nebuloso como 2015. Vamos todos arregaçar as mangas. Feliz Ano Novo!

Artigo publicado no jornal Diário de S. Paulo em 27/12/15

Artigo Diario 2712