O luto, a perda e a saudade de Paulo Renato


Descrever a tristeza profunda que sentimos com a perda de um amigo querido é, teoricamente, fácil: trata-se do luto. Falar dessa pessoa – no caso o Paulo Renato –  e da presença dele nas nossas vidas e na vida pública é tarefa complexa.

Talvez a frase que melhor definiu a importância dele como homem público foi a do Serra, que declarou “a educação se divide em duas etapas: antes e depois de Paulo Renato”; talvez, os olhares de dor mostraram a dimensão do imenso vazio que ele deixou.  A soma disso representa, a meu ver, o significado de Paulo Renato. Se eu pudesse, com essas poucas palavras, fazer jus a sua história, eu terminaria dizendo que só o fato do Brasil ter tido um ministro da Educação que conseguiu universalizar o ensino fundamental, colocando 98% das crianças nas escolas, já bastaria. Mas ele foi além, um homem público exemplar, um amigo pra todas as horas, um administrador competente, um político com ética, características raras nos dias de hoje. O Brasil perdeu muito e nós, seus amigos, temos hoje as boas lembranças e a eterna saudade de uma pessoa especial, o Paulo.