Oásis da cidade


O Jardim América foi o primeiro bairro-jardim de São Paulo, projetado pelo inglês Barry Parker na década de 20, para desenvolver as áreas de várzea às margens do Rio Pinheiros.

O mesmo arquiteto, em 1917, delineou o traçado do bairro, tornando os Jardins uma área estritamente residencial, com baixa densidade populacional e alta qualidade de vida.

Vale andar pelos Jardins para descobrir suas praças, acessadas por meio de vielas como jardins internos, e ver algumas das 2.200 árvores que fazem do bairro um oásis em São Paulo. Uma das praças mais conhecidas é a das Guianas, onde fica o Monumento a Federico Garcia Lorca.

Mas há muito mais para ver nos Jardins em um passeio a pé. Destaco o quadrilátero da Rua Estados Unidos e das Avenidas Rebouças, Brigadeiro Faria Lima e 9 de Julho, onde além das áreas verdes, há belíssimas residências construídas na década de 20, com estilos arquitetônicos singulares, e estão importantes centros de cultura e arte. Uma das sugestões é fazer o roteiro dos museus, passando pelo Museu da Casa Brasileira (MCB) – na Faria Lima, pelo Museu da Imagem e do Som (MIS) – na Avenida Europa e pela Fundação Cultural Ema Klabin, na Rua Portugal, que atende visitas com hora marcada.

Outro percurso interessante passa pelas igrejas. Na conhecida Nossa Senhora do Brasil, são impressionantes as peças com a arquitetura barroca e as referências a símbolos brasileiros. A própria imagem de Nossa Senhora traz uma Virgem com feições indígenas e um menino Jesus mulato, representando as raças que formam o povo brasileiro. Também vale conhecer a igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro para ver os afrescos de Samson Flexor, e a igreja São José, que copia uma igreja italiana na arquitetura e no estilo.

Também impressiona, em cada caminhada pelos Jardins, a rapidez com que a região se desenvolveu. Lembro da chácara que existia no terreno onde hoje é o Shopping Iguatemi, onde eu andava a cavalo, e da casa onde eu tomava leite de cabra na Rua Iraci, até hoje uma rua residencial. Ainda assim, os Jardins preservam as características que são fundamentais para a cidade.