Operação Delegada está restrita a 1.300 policiais


O líder do PSDB na Câmara, Andrea Matarazzo, fala em plenário sobre o número reduzido de policiais que participam da Operação Delegada na cidade de São Paulo.

Sra. Presidente, Sras. e Srs. Vereadores, público que nos acompanha pela TV Câmara São Paulo, quero parabenizar o nobre Vereador Alfredinho pelo discurso, assim como o nobre Vereador Abou Anni.

Existe um projeto interessante e inteligente, que disciplina a criação das chamadas garagens-escola, de autoria do nobre Vereador Vavá, e que prevê, a longo prazo, a incorporação dos cobradores em outras funções. Mas, efetivamente, vale a pena que eles, por enquanto, sejam mantidos e que se faça a transição de acordo com o que esses nobres Vereadores mencionados têm sugerido, que são os nobres Vereadores Vavá, Alfredinho, Senival e Abou Anni.

Mas eu queria falar hoje sobre a Operação Delegada, da Polícia Militar, que foi implantada na Prefeitura em 2009, pelo Coronel Camilo, na gestão do Sr. Prefeito Kassab, do Sr. Governador Serra e depois do Sr. Geraldo Alckmin.

Em São Paulo, chegamos a contar com um efetivo de 4 mil policiais trabalhando pela Operação Delegada. Em junho de 2013, porém, esse número, apresentado pela Prefeitura, caiu para 1.850 policiais. Portanto, uma redução substantiva.

No auge da Operação, a iniciativa proporcionou ações de policiamento preventivo para preservação da ordem pública, com dados da época em que o Coronel Camilo estava no Centro de Comando da Polícia Militar. O convênio colaborou significativamente para a redução dos índices de criminalidade nos locais de grande circulação de pedestres, proporcionando sensação de segurança à população.

Por exemplo, aqui na região central não se via mais a venda de pirataria e contrabando, atividade que hoje voltou às ruas, infelizmente.

Da forma como foi implantada na cidade de São Paulo, a Operação Delegada serviu como exemplo de boa iniciativa, tanto que 53 cidades do Estado a adotaram, e isso graças ao Governador Geraldo Alckmin, que tem incentivado e implementado a Operação, para melhoria da qualidade de vida da população, prestigiando e incentivando a Polícia Militar. Para esses policiais militares a atividade, que é remunerada pelas prefeituras, é uma oportunidade para complementar a renda.

O nobre Vereador Reis, que gosta de falar de Segurança, não está aqui hoje, mas, enfim, penso que o Estado de São Paulo precisa estimular essa Operação e espero que o nobre Vereador Reis estimule o Sr. Prefeito Fernando Haddad a retomar a Operação Delegada aqui em São Paulo, a exemplo do que fizeram alguns municípios ontem. O Governador Alckmin ontem assinou oito convênios de Operação Delegada para Barretos, Gavião Peixoto, Parisi, Ourinhos e Birigui. Dezenove municípios foram contemplados.

Enfim, a Operação Delegada, todos nós sabemos, foi um ganho para a população de São Paulo. Uma boa ideia que funcionou perfeitamente e mostrava a integração entre o Estado e o Município. Acredito que não é porque são partidos diferentes, Sr. Prefeito Fernando Haddad, que V.Exa. tem de desmontar equipamentos que estão funcionando, que prestigiam nossa polícia e que melhoram a qualidade de vida da nossa população. Por que desmontar a Operação Delegada?

A exemplo do que V.Exa. falou outro dia do Anhembi, repito aqui, com relação a Operação Delegada, Sr. Prefeito Fernando Haddad: copie a gestão do Governador Geraldo Alckmin, do PSDB, e estimule a Operação Delegada em nosso Município, que hoje está restrita a apenas cerca de 1.300 policiais, sem dúvida nenhuma piorando a qualidade da segurança em nossa cidade.

Digo aos Srs. Vereadores que estimulem, que ajudem a pressionar, para que o Município de São Paulo volte a contratar os policiais militares por meio da Operação Delegada, para melhorar a segurança da nossa cidade e a tranquilidade das nossas famílias.

Muito obrigado.