Precisamos de infraestrutura


É inaceitável que uma cidade como São Paulo não esteja preparada para temporais.

Esta semana mais uma vez São Paulo se tornou um caos após um temporal. Centenas de árvores caíram, uma pessoa morreu, muitas ruas ficaram alagadas, os semáforos pararam de funcionar e o trânsito ficou muito pior que o de costume.

Não bastasse todo o desastre do dia da chuva, no dia seguinte os problemas continuaram. A Prefeitura não estava preparada para recolher as árvores que caíram e a manhã inteira as ruas permaneceram bloqueadas. Os semáforos ficaram em amarelo piscante ou desligados. E os agentes da CET fizeram o que puderam para tentar organizar o já caótico trânsito da cidade.

É verdade que este temporal aconteceu fora de época, mas São Paulo encara o problema de enchentes e queda de árvores há anos. É só chover mais forte que a imprensa começa a noticiar os estragos e algumas vezes acontece o pior. Neste episódio uma pessoa morreu e dezenas ficaram feridas.

Como resolver a questão? Investindo em infraestrutura! A maior cidade do país precisa estar pronta para os temporais. É preciso ter piscinões, limpeza de córregos, proteção das margens e operação cata bagulho, que são ações que previnem enchentes em caso de chuva. Além disso é necessário um sistema de semáforos que não parem de funcionar a cada chuva e a administração precisa estar de acordo com a Lei de minha autoria que agiliza o tratamento e a poda de árvores. Este assunto não é brincadeira e pode salvar vidas.

Falando em brincadeira, no mesmo dia do trágico temporal  o prefeito Fernando Haddad estava ocupado fazendo uma pegadinha com o historiador a apresentador da Rádio Jovem Pan Marco Antonio Villa. Como Villa costuma criticar a agenda de Haddad que geralmente não passa de reuniões em seu gabinete, o prefeito resolveu fazer uma pegadinha e colocou no lugar de sua agenda oficial uma agenda falsa. Patética a atitude do prefeito!