Regularização fundiária é um dos pontos mais importantes a ser debatidos no Plano Diretor


Andrea Matarazzo e Nabil Bonduki debateram em 2 de dezembro o Plano Diretor Estratégico e o futuro da cidade de São Paulo.  Verticalização, regularização fundiária, adensamento ao longo dos corredores de ônibus, mobilidade, a necessidade emprego para a periferia foram alguns dos assuntos tratados.

A seguir, destaco os principais meus posicionamentos durante o debate:

Regularização fundiária

A falta da regularização fundiária na cidade de São Paulo é um dos maiores problemas da cidade e precisa ser enfrentado. Não é verdade que falta terreno para construir na cidade. Há necessidade de moradia, comércio, indústrias, escolas, hospitais, lazer em grande parte do território paulistano e regularizar impede o desenvolvimento da periferia. Fazer a regularização fundiária é permitir que novas centralidades se desenvolvam.

Verticalização

Verticalização adequada para São Paulo é aquela que a cidade suporta, onde há uma estrutura capaz de atender a demanda da população. A verticalização tem a ver com a quantidade de pessoas e com o uso que é feito nas regiões. O que discuto no Plano Diretor é o adensamento das regiões no entorno dos corredores de transporte público. Muitas dessas regiões já estão saturadas e há outras, mais distantes do centro expandido que precisam ser adensadas. A ideia é novas centralidades, levar o empreg para perto de onde as pessoas moram.

Sobre o Plano Diretor Estratégico enviado pela Prefeitura

O Executivo manda para a Câmara o Plano Diretor idea, mas vivemos na cidade real! Durante as audiências públicas, temos ouvido as pessoas que moram e trabalham nas regiões. São essas pessoas que conhecem quais as prioridades desses locais.