São Paulo merece um transporte melhor


Nos oito primeiros meses deste ano, a Prefeitura de São Paulo já arrecadou R$ 611 milhões em multas de trânsito.

É um valor elevado, 14% maior do que foi arrecadado no mesmo período do ano passado. Mesmo com todo esse dinheiro, não é possível ver nenhuma melhoria no trânsito da cidade.

Quero deixar claro que não sou contra as multas. Pelo contrário. O mau motorista, que coloca a sua vida e as de outras pessoas em risco, precisa ser punido severamente. Mas sou contra o mau uso dos recursos.

Esse dinheiro deveria ser investido em campanhas educativas e de conscientização, na melhoria da sinalização e na manutenção de semáforos, para que não deixem de funcionar a cada chuva. Mas nada disso está acontecendo. O prefeito precisa explicar onde está gastando todos esses milhões.

Um bom administrador conseguiria fazer muito com essa verba. Para efeito de comparação, com esse dinheiro seria possível construir dez hospitais, que serviriam para amenizar um pouco o caos da saúde paulistana. Daria também para comprar 17,4 milhões de metros quadrados de asfalto para tapar os buracos de nossas vias e asfaltar as ruas da periferia que ainda têm chão de terra. Ou ainda, fazer 4 milhões de metros quadrados de calçadas, resolvendo um dos principais problemas que afligem os paulistanos, principalmente aqueles com dificuldade de locomoção.

Mas o principal uso, como preconiza a lei, deve ser na melhoria do transporte na cidade. E aí os números, além da percepção geral, mostram o fracasso da administração.

Pesquisa divulgada na semana passada pelo Ibope mostra que três em cada dez brasileiros gastam mais de uma hora por dia para se deslocar para o trabalho ou a escola. Em cidades com mais de 100 mil habitantes, como é o caso de São Paulo e dos municípios vizinhos, esse índice chega a 39% Isso reflete diretamente na qualidade de vida dos brasileiros, já que temos menos tempo para descansar. Por isso, defendo que a mobilidade urbana precisa ser uma das prioridades da Prefeitura de São Paulo. Há dinheiro para isso. Basta saber utilizá-lo.

Artigo-diario-1810