Vamos cuidar melhor da nossa cidade


São Paulo é a cidade mais próspera do país, está entre as dez mais do mundo. Contribui com grande parte de toda a riqueza gerada no Brasil.

 

Apesar de seus fortes contrastes, nós, paulistanos, nos orgulhamos muito de nossa cidade.

Gostamos de passear pelas ruas, conversar com os nossos amigos na padaria do bairro, comprar o jornal na mesma banca. E adoramos contar, para quem não vive aqui, como São Paulo tem de tudo.

Infelizmente, a cidade vive um momento decadente, com ruas esburacadas; vias mal iluminadas; sujeira acumulada; praças abandonadas; parques sem manutenção; postes derrubados; placas caídas; hospitais, creches e escolas deteriorados.

Há um descompasso triste entre a cidade que habita o imaginário de quem mora fora daqui e a realidade. Culpa do desleixo acumulado pelo poder público nos últimos anos.

Não é simples administrar uma cidade complexa, desigual de quase 12 milhões de habitantes. Isso, porém, não pode ser usado como desculpa para o caos instalado. A Prefeitura deixou a cidade à própria sorte e nada faz para resolver suas prioridades, nem mesmo as discute.

Por isso, cada um de nós deve se tornar uma espécie de zelador das nossas comunidades, fazer um esforço para garantir que a cidade fique mais bonita e melhor cuidada. E o que não for possível resolver com o nosso próprio suor, vamos denunciar e chamar atenção das subprefeituras. Não é porque São Paulo está abandonada pela atual gestão que vamos, nós, desistir também dela.

Vamos conversar com os nossos vizinhos, organizar nossas comunidades e saber onde podemos contribuir de forma conjunta. É essencial também nos envolvermos nas eleições dos Conselhos Participativos, tema sobre o qual voltarei a falar neste espaço. Vamos mostrar para o prefeito como nós, que temos orgulho da cidade, gostamos de trabalhar pelo bem do município.

Tenho certeza de que São Paulo saberá se reerguer.

Artigo publicado no jornal Diário de São Paulo em 19/07/2015

Artigo-diario-1907